Postagens mais visitadas

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Cida pede a suspensão da cobrança dos pedágios.

A procuradoria Geral do Estado do Paraná  vai ingressar com ação na justiça por determinação da governadora Cida Borghetti solicitando a suspensão de cobrança de pedágio em todo o Anel da Integração, esta medida esta baseado nos fatos apurados pela operação Integração, realizada pela 55 fase da Lava Jato, entre os presos estão Jose Pepe Richa Filho o irmão do ex governador e candidato ao senado Beto Richa (PSDB) ex secretario da infraestrutura, o diretor regional da Associação Brasileira de Concessões Rodoviárias ABCR, José Chiminazzo Neto,  representante das 06  concessionárias que cobram pedágios nas rodovias federais do Paraná o primo de Richa Luiz Abi também teve sua prisão decretada, mas encontra-se em viagem no exterior, que indica manipulação dos contratos e dos preços das tarifas para atender interesses das concessionárias. "são denuncias muito graves que precisam ser investigadas a fundo." " "enquanto ocorre  a investigação é justo que haja suspensão da cobrança do pedágio. Os paranaenses pagam uma tarifa muita alta e há indícios fortes de manipulação dos preços, por isso estamos adotando esta medida e espero que a justiça acate''. declarou a governadora Cida Borghetti.  A PGE deve protocolar  a ação nos próximos dias, na Justiça Federal.   #joaresbrasil









Novos números do CNI/IBOPE.

Novos números do CNI/IBOPE. Jair Bolsonaro 27%,  Fernando Haddad 21%,  Ciro Gomes 12%,  Geraldo Alckmin 8%,  Marina Silva 6%,  João Amoedo 3%,  Henrique Meirelles e Alvaro Dias  2% cada um Guilherme Boulos 1%,  Brancos e Nulos 11% , Não sabe e não respondeu 7%. Foi entrevistado 2 mil eleitores, em 126 municípios e tem margem de erro de 2% para cima ou para baixo pontos,  com grau de confiança de 95%, e Registro no TSE  n 04669/2018.  #eleições2018 #eleiçõesparapresidente .#joaresbrasil.
entre os dias 22/24 de setembro, se a eleição fosse hoje nenhum candidato atingiria 50%, perspectivas para segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad.